Lobão e os Ronaldos

 O cantor Lobão começou sua carreira aos 17  de idade com a banda Vímana, que trazia na formação Lulu Santos e Ritchie.

Com o fim da Vímana , seguiu a carreira como baterista tocando com Luiz Melodia,Walter Franco e Marina Lima.

Em 1982,  Lobão lançou seu primeiro trabalho solo,o disco “Cena de Cinema” e em seguida formou  a banda Lobão e os Ronaldos ,que trazia na formação a cantora e tecladista holandesa Alice Pink Pank, ex-Gang 90.

Lobão e os Ronaldos lançaram o album “Ronaldo foi pra Guerra”, com canções  de puro rock brasileiro, marcadas  com aquelas pitadas de new wave oitentista com a clássica “Tô a Toa Tokio” e uma de suas mais conhecidas canções –  “Me Chama”.

Apesar do enorme sucesso,a banda teve vida curta.  Lobão volta a sua carreira solo lançando o single “Decadence Avec Elegance”, mas isso é outra história…

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

O Bandido da Luz Vermelha

Dirigido pelo jovem diretor Rogério Sganzerla, na época com apenas 22 anos de idade, o longa  é considerado um clássico brasileiro de 1968. Baseado na vida do famoso assaltante João Acácio Pereira da Costa, apelidado de “bandido da luz vermelha”

No filme,  o Bandido da Luz Vermelha utiliza técnicas peculiares em cada ato criminoso, deixando a policia e a imprensa  surpresas.

Sempre utilizando uma pequena lanterna vermelha para auxiliar em seus roubos e furtos à residências,  que tinha o costume de fazer vítimas, conversar com elas e às vezes até  abusar delas, sexualmente ou com favores domésticos, como obrigar as mulheres a cozinhar pra ele durante o período de sua estadia nada agradável em suas residências.

Outra característica marcante do Bandido da Luz Vermelha era empreender fugas  cinematográficas, fazendo com que a polícia nunca chegasse perto dele nem descobrisse realmente quem ele era e assim continuar cada vez mais com seus roubos e furtos…

O Banido tem uma namorada, Janete Jane ,durante o filme faz algumas amizades com outros assaltantes e, ainda, com um político corrupto, que mais tarde acaba sendo traído após ser perseguiio e encurralado pela policia, quando decide dar fim a sua vida cometendo suicídio.

O roteiro, de autoria do próprio diretor, é baseado na história de João Acácio Pereira da Costa, bandido catarinense que, em 1967, atormentou a polícia paulista.

O roteiro denota uma familiaridade muito grande com a história contada, com a narração à maneira dos programas policiais de rádio. Ele é bastante minucioso ao mostrar os “anos de aprendizagem” do Luz, na apresentação do delegado Cabeção e nas exatas palavras do casal de locutores que comentam os acontecimentos da cidade em que é transformada São Paulo no filme.

Louco,doente,bandido,inocente….

Cada um tem uma visão ou uma versão diferente para a historia deste personagem da vida real….

A banda IRA! lançou, em 1988, um LP em homenagem ao Luz Vermelha, o disco “Psicoacústica” . O álbum traz diversas referências, começando pela capa e com  as faixas  “Rubro Zorro”  e “Pegue Essa Arma” , com trechos de áudios retirados do filme.

Abaixo,trecho do filme,de onde o IRA! Pegou os devidos trechos:

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Nau

A banda NAU, f ormada por  Mauro Sanches-bateria, Beto Birquer-baixo, Zique-guitarras e Vange Leonel-voz, lançou o LP coletânea “Não São Paulo” vol.1 com duas faixas, ao lado de bandas como 365,Gueto e Vultos. Em seguida, produziu o primeiro LP individual auto-intitulado com 11 canções. O som da Nau era algo que flertava entre o new wave brasileiro dos anos 80 e um pouco de psicodelismo.

Músicas maravilhosas e poesia à flor da pele, isso era a banda Nau…

Clipe de Vange Leonel “Imagens de Outra Guerra” :

Publicado em Rock Brasil Anos 80 | Deixe um comentário

Ethiopia

A banda Ethiopia foi formada em 1985, na cidade do Rio de Janeiro após o fim da banda de punk rock Dezespero.

A Ethiopia fazia um rock com pegadas entre o pós-punk,dark e o rock britânico,como The Cure,Echo & the Bunnymen,The Smiths,etc….que em alguns momentos fazia lembrar de bandas brasileiras que bebiam da mesma fonte como 5 Generais,Finis Africae,etc….

A banda fez algumas apresentações pelo circuito alternativo carioca e lançou apenas um EP ou como era chamado na época “mini-LP” com apenas 4 faixas maravilhosas que são :

“Feito Navalha”,”Minha Vidaem Suas Mãos”,”Ethiopia” e “Vazio”.

Lançado pelo selo Top Tape no ano de 1986 e infelizmente muito pouco conhecido fora de sua cidade na época,o que é lamentável,pois a banda tinha uma musicalidade excelente e magnifica!

Tente procurar pelo mini-LP em sebos de sua cidade ou em blogs que disponibilizam para baixar gratuitamente….

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Harry

A banda HARRY nasceu na cidade de Santos (SP), em 1985 , com visíveis influências das bandas Depeche Mode, Kraftwerk e New Order.  As letras sempre foram repletas de referências ao mundo dos quadrinhos e a escritores como Neil Gaiman e Alan Moore.

Liderada pelo vocalista Hansen,  a banda lançou a seguinte discografia : “Caos” EP (1986);  “Fairy Tales” (1988);‘Vessels’ Town” (1990); e “Chemical Archives” Compilação (1994), além do Box CD  chamado de “Taxidermy-Boxing Harry”, composto por três cds.

Esse box  foi lançado em meados de 2005, quando a banda voltou à ativa depois de anos parada. Mesmo nesse período out, fãs do mundo afora  sempre a teve como referência do cenário eletrônico, principalmente na Alemanha.

“The Sky is Grey” –  O selo paulista 80´s records organizou recentemente uma coletânea virtual para download gratuito, com diversas bandas brasileiras em tributo à Harry,  sob o nome de The Sky is Grey , tíitulo baseado em sua canção “Sky Will Be Grey”.

Neste tributo ainda há  versões  para as faixas “Silent Telephone”, com a banda Elegia, e”Genebra” com Plastique Noires.

Harry “Genebra” no programa Boca Livre:

Publicado em Rock Brasil Anos 80 | Deixe um comentário

Vzyadoq Moe

Vzyadoq Moe.  O nome da banda paulista foi criado de forma dadaísta. Resultado da combinação de letras  escolhidas aleatoriamente pelo grupo.

A  bateria caseira, composta por  caixas de papelão e latas diversas,  proporcionou  à banda   uma musicalidade própria  e original, junto à  percussão rítmica, caótica e cadenciada.

O vocal, com tons de expressão ora agonizante ora lúdica, Fausto,o vocalista na época com apenas 16 anos e um repertório incrivel de belas poesias.

Lançaram o LP “O Ápice” ,em 1988, pela Wop Bop Discos, com vários clássicos como “Não há morte”,”Redenção”,”Expansão”,”Desejo em Chamas”….

Este LP foi relançado em 2001 no formato CD. Mas este apresenta um defeito, não tem a faixa “Não há Morte”,apesar de aparecer o nome da faixa no CD.

A banda participou da coletânea em vinil  “Sanguinho Novo” , em homenagem à Arnaldo Baptista dos Mutantes, com a faixa “Bomba H. Sobre São Paulo”,  ao lado de  bandas como Sepultura, Ratos de Porão,Akira S,Ultimo  Numero,Lobão,Felini,entre outros…

Participaram também da coletânea em vinil  “Enquanto isso…” ,  com as faixas The Cabinet e  Santa Brígida . Postumamente em 2000, foi lançado o CD  “Hard Macumba”, com material de estúdio e shows ao vivo ainda não publicados.

A banda voltou à ativa e tem se apresentado em diversos eventos na cidade de São Paulo.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Tokyo

A banda Tokyo foi formada, em  1984,  por Supla (vocal), Z (teclados), Rocco (bateria), Bidi (guitarra) e Andres (baixo).

Com um rock com tendências que iam do new wave,technopop até as pitadas do punkrock.

Chegaram a lançar um EP (Compacto) pela Som Livre,na época em que praticamente todas as bandas de rock brasileiro também lançavam inicialmente um EP ou single com duas  músicas,antes de lançarem o primeiro álbum oficial.

Com prensagens às  vezes limitadas, o que fez com que esses “items de colecionador” ,se tornassem hoje além de raros ,muito caros.

Lançaram então  o LP “Tokyo” (Epic/CBS), no qual emplacaram hits nacionais como “Humanos” e “Garota de Berlim”.

O que em minha opinião prejudicou muito o trabalho da banda,pois muitas pessoas conheciam apenas essas duas músicas e o disco repleto de músicas boas ficou meio apagado e esquecido.

As músicas “Intenções” e “Programado” chegaram a rodar com bastante frequeêcia também pelas rádios e clubes nos anos oitenta,mas não com a mesma “força” das citadas acima.

E ainda canções belas ,simples e com uma conotação quase infantil e inocente como a “Estações” por exemplo foram praticamente deixadas de lado, pela mídia e imprensa especializada. Uma pena.

No primeiro LP há participações super especiais como todos devem saber da cantora alemã Nina Hagen na faixa em homenagem a ela : “Garota de Berlim” e do cantor Cauby Peixoto” na canção “Romântica” que é uma espécie de rock brega psicodélico,com o cantor Cauby encerrando a música com sua voz exagerada e pesada dizendo a seguinte frase:

” Hey cara,você é ótimo!”

Em 1987 , Tokyo lançou seu segundo e último álbum “O Outro Lado” e, mais uma vez, a mídia passou a  divulgar  apenas duas de suas canções para veincular nas ondas de radio e TV,eram elas : “Metralhar e Não Morrer” e “O 5º Coringa”. Nesta o vocalista Supla adentrava ao palco com um chicote na mão e àss vezes com maquiagem semelhante a do personagem Coringa arqui-inimigo do Batman, nas histórias em quadrinhos. Anos mais tarde o cantor voltava a encarnar o personagem como O Coringa Brasileiro.

Como no primeiro álbum, músicas muito boas ficaram de lado pela imprensa e mídia especializada, tais como : “Minha Bandida Preferida” e “Vida de Papel” o que também é uma pena.

Mais tarde Supla seguiu carreira solo….

Mas isso é outra história….

Humanos:

Publicado em Rock Brasil Anos 80 | Deixe um comentário

Warriors

Conhecido no Brasil como Selvagens da NoiteThe Warriors  foi lançado em 1979, pelo produtor e diretor Walter Hill, também autor de Alien . O filme narra a história caótica e realista sobre gangues de jovens e adolescentes que estavam crescendo e se espalhando pelos EUA , no final da década de 70, com  uma visão futurista e niilista.  

O enredo é marcado pela atuação do líder  Cyrus, que resolve unir  as gangues para tomar a cidade.   Mas  o grande idealizador da mobilização  é covardemente assassinado por um dos participantes, e a  culpa  recai  sobre o grupo denominado   “Warriors”  (guerreiros). Da  cidade de Coney  Island , eles se vêem obrigados a atravessar a cidade durante a madrugada até retornar a seu território enquanto são caçados injustamente por nada menos que todas as outras gangues presentes no grande encontro.

 

Muitos jovens dos anos 80 tiveram uma identidade automática com o filme, ao ver a possibilidade de se unir a um amigo e criar uma gangue  por diversão ou se fosse preciso em determinado momento…

The Warriors também  é citado no documentário “Botinada – a historia  do punk no Brasil” como um grande precursor do  movimento punk brasileiro, no início dos anos 80.

  “Eu quando saí do cinema depois que vi Warriors, minha primeira atitude foi ir a uma loja e comprar um canivete de mola.” (Clemente da banda Inocentes). 

 “O pessoal achava que Warriors era punk, então o pessoal queria sair na rua e brigar, tretar como os caras do filme…” (Ariel das bandas Restos de Nada e Invasores de Cérebro).

 O ex- baterista da banda PSYCHIC POSSESSOR, Boka, atualmente na banda Ratos de Porão (R.D.P.), tem ainda outra banda SHOT CYRUS, que faz homenagens e referências diretas ao filme.

Eu poderia ter atirado no presidente ou em qualquer outra porra de autoridade.  Ou eu poderia ter matado um bando de políticos ou ter simplesmente metido  uma bala em um tira. Mas eu atirei em Cyrus.  Eu quero caos. Eu amo essa rivalidade.  “Essa é a razão pela qual eu confesso meu crime.”  (Eu Atirei em Cyrus , da banda I SHOT CYRUS).

 

Outro  fato que desperta a atenção no filme é que as gangues podiam enviar mensagens de trégua ou de guerra por meio de um programa de rádio,  com mensagens transmitidas ao vivo. E a radialista sempre oferecia canções, em um belo toca-discos, relacionadas às mensagens enviadas.

 O filme foi relançado várias vezes no formato VHS , fita de vídeo, durante todos os anos 80 no Brasil e também nos anos 90,chegando a receber dublagens diferentes . Também foi relançado em DVD.

 “Warriors…come on playing…”

 Título original: (The Warriors)

Lançamento: 1979 (EUA)

Direção: Walter Hill

Atores: Michael Beck, James Remar, Dorsey Wright, Brian Tyler.

Duração: 90 min

Trailler

Publicado em Uncategorized | Marcado com , , | Deixe um comentário